Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Feliz 2014-

                                                                               



O Blog e Site  Café com Leitura na Rede deseja a todos os leitores, amigos, clientes e internautas um FELIZ ANO NOVO, recheado de livros, histórias, narrativas, enredos, tramas, leituras e releituras!
Abraços Literários!


Esse é um dos meus poemas favoritos!
Recentemente soube de uma divergência sobre a autoria do referido poema.
Desejos não seria da autoria de Victor Hugo, teria uma versão, na verdade seria  um original,  Os Votos de Sergio Jockymann  publicado originalmente em 1980.
Como não saberia dizer se é ou não lenda do “território da internetês” publico dando os créditos a quem for de direito, uma vez que em hipótese alguma cometeria uma injustiça com quem quer que fosse.
De qualquer maneira Victor Hugo ou Sergio Jockymann, Desejos  ou Os Votos, o poema é simplesmente maravilhoso.


 “Pois desejo primeiro que você ame e que amando, seja também amado.
E que se não o for, seja breve em esquecer e esquecendo não guarde mágoa.
Desejo depois que não seja só, mas que se for saiba ser sem desesperar.
Desejo também que tenha amigos e que mesmo maus e inconseqüentes sejam corajosos e fiéis.
E que em pelo menos um deles você possa confiar e que confiando não duvide de sua confiança.

                                                                              


E porque a vida é assim, desejo ainda que você tenha inimigos, nem muitos nem poucos, mas na medida exata para que algumas vezes você interpele a respeito de suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo para que você não se sinta demasiadamente seguro.
Desejo depois que você seja útil, não insubstituívelmente útil mas razoavelmente útil.
E que nos maus momentos, quando não restar mais nada, essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.
Desejo ainda que você seja tolerante, não com que os que erram pouco, porque isso é fácil, mas com aqueles que erram muito e irremediavelmente.
E que essa tolerância nem se transforme em aplauso nem em permissividade, para que assim fazendo um bom uso dela, você dê também um exemplo para os outros.
Desejo que você sendo jovem não amadureça depressa demais,
e que sendo maduro não insista em rejuvenescer,
e que sendo velho não se dedique a desesperar.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e é preciso deixar que eles escorram dentro de nós.
Desejo por sinal que você seja triste, não o ano todo, nem um mês e muito menos uma semana,
mas um dia.
Mas que nesse dia de tristeza, você descubra que o riso diário é bom, o riso habitual é insosso e o riso constante é insano.
Desejo que você descubra com o máximo de urgência, acima e a despeito de tudo, talvez agora mesmo, mas se for impossível amanhã de manhã, que existem oprimidos, injustiçados e infelizes.
E que estão à sua volta, porque seu pai aceitou conviver com eles.
E que eles continuarão à volta de seus filhos, se você achar a convivência inevitável.
Desejo ainda que você afague um gato, que alimente um cão e ouça pelo menos um João-de-barro erguer triunfante seu canto matinal.
Porque assim você se sentirá bem por nada.
Desejo também que você plante uma semente por mais ridículo que seja e acompanhe seu crescimento dia a dia, para que você saiba de quantas muitas vidas é feita uma árvore.
Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro porque é preciso ser prático. E que pelo menos uma vez por ano você ponha uma porção dele na sua frente e diga: Isto é meu.
Só para que fique claro quem é o dono de quem.
Desejo ainda que você seja frugal, não inteiramente frugal, não obcecadamente frugal, mas apenas usualmente frugal.
Mas que essa frugalidade não impeça você de abusar quando o abuso se impor.
Desejo também que nenhum de seus afetos morra, por ele e por você. Mas que se morrer, você possa chorar sem se culpar e sofrer sem se lamentar.
Desejo por fim que,
sendo mulher, você tenha um bom homem
e que sendo homem tenha uma boa mulher.
E que se amem hoje, amanhã, depois, no dia seguinte, mais uma vez e novamente de agora até o próximo ano acabar.
E que quando estiverem exaustos e sorridentes, ainda tenham amor pra recomeçar.
E se isso só acontecer, não tenho mais nada para desejar”

Fonte: Folha da Tarde – Porto Alegre – 30 de Dezembro de 1978.
Observação: Toda pontuação e formatação do texto foram mantidas de acordo com o original.


                                                                          

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Feliz Natal-



                                                                               



Papai Noel existe, sim!





Em 1897, Virgínia O’Hanlon Douglas, de 8 anos, escreveu para o jornal inglês The Sun perguntando se Papai Noel existia, já que alguns de seus amigos diziam que tudo não passava de fantasia. O jornal publicou a resposta: “Seus amiguinhos estão errados. Provavelmente foram afetados pela descrença de uma época em que as pessoas só acreditam  naquilo que veem. Papai Noel existe, sim! Isso é tão certo quanto a existência do amor e da generosidade. Ah, como seria triste o mundo sem Papai Noel!
Não haveria a poesia e a fantasia para fazer a nossa existência suportável. VC poderia até pedir ao seu pai para contratar homens para vigiar as chaminés e assim flagrar  Papai Noel, mas, mesmo que VC não o visse descendo por elas, o que isso provaria ????
Nada! Ninguém vê o Papai Noel, mas não há sinais de que ele não existe. O fato é: as coisas mais reais são aquelas que ninguém vê. Papai Noel sempre existirá, fazendo felizes os corações das pessoas.”

Portanto, sonhe muito, pois é a partir dos sonhos e fantasias de ontem que surgem as grandes realizações de amanhã.


O Café com Leitura na Rede blog e site deseja a todos os seus leitores, clientes e amigos um Feliz e Iluminado Natal!


                                                                             

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Caneca Literária #8: Anjos à Mesa

                                                                              




A Caneca Literária desse mês é para VCS  que assim como nós amam a época do Natal!     


                                                                                 


       

Shirley, Goodness e Mercy sabem que o trabalho de um anjo é interminável — especialmente na véspera do Ano-Novo. Ao lado de seu novo aprendiz, o anjo Will, elas se preparam para entrar em ação na festa de fim de ano da Times Square. 
Quando Will identifica dois solitários no meio da multidão, ele decide que a meia-noite será o momento perfeito para dar aquele empurrãozinho divino de que eles precisam para acabar com a solidão. Então, por “acidente”, Lucie Ferrara e Aren Fairchild esbarram-se no meio da alegria da festa, mas, assim como se aproximam, acabam se perdendo: um encontro marcado que não acontece os afasta pelo resto da vida. Ou será que não? 
Um ano depois, Lucie é a chef de um novo e aclamado restaurante, e Aren é um colunista de sucesso em um grande jornal de Nova York. Durante todo o ano que passou, os dois não se esqueceram daquela noite. 
Shirley, Goodness, Mercy e Will também não se esqueceram do casal... Para uni-los novamente, os anjos vão usar uma receita antiga e certeira: amor verdadeiro mais uma segunda chance (e uma boa dose de confusão), para criar um inesquecível milagre de Natal.

Anjos à Mesa escrito por Debbie Macomber é um romance leve e divertido, que conquista pela narrativa descontraída e despretensiosa.
Impossível não se divertir com as trapalhadas dos quatro anjos que apenas querem unir Lucie e Aren. Mas toda vez que eles elaboram um plano, algo inusitado acontece e eles não conseguem o desejado.
O enredo se parece com aqueles filmes natalinos e lembra os da sessão da tarde, que distraem e contém uma mensagem.
Uma história sobre segundas oportunidades, Anjos à Mesa é um romance adorável que combina perfeitamente com a época do Natal!



Abraços Literários.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Cine Clube #5: Milagre na Rua 34-

                                                                            




Miracle on 34th Street  é um filme   do gênero fantasia dirigido por Les Mayfield refilmagem do clássico Miracle on 34th Street ( De Ilusão também se Vive ) de 1947.


                                                                               




Milagre na Rua 34, é uma fábula irresistível que, para muitos,  tornou-se sinônimo de comemoração do Natal.
Os preparativos para a festa estão a todo o vapor quando um cavalheiro de olhos brilhantes, respeitável barriga e barba branca é contratado para trabalhar como Papai Noel numa loja de departamentos.
Ele alega que seu nome é Kris Kringle e logo contagia a todos com o espírito de Natal.
Todos, menos sua chefa, Doris Walker, que ensina sua filha Susan a não acreditar em Papai Noel.
Mas quando Kris é considerado maluco e enviado a julgamento, a fé de todos é colocada à prova, pois crianças e adultos terão que responder à antiga pergunta:
- Você acredita em Papai Noel?
Vencedor do Oscar (1947) nas categorias Melhor Ator Coadjuvante (Edmund Gwenn), Melhor História Original e Melhor Roteiro, esta imortal lenda de fé, amor e imaginação permanece um dos filmes mais populares e queridos de todos os tempos.
Eu tenho uma recordação adorável deste filme, de  uma noite chuvosa e absolutamente feliz ao lado das pessoas que mais amooo!
E VC já assistiu o filme ??????
Qual seu filme de Natal ?????
Conta para nós!!


 Abraços Literários.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Inspira Estante #4

                                                                              



Somos apaixonadas por estantes, principalmente se estiverem abarrotadas de livros.

                                              
                                                                                



É um móvel super, mega, ultra, max, máster, blaster, hiper versátil, que além de se adaptar a qualquer lugar da casa supre suas necessidades literárias, mantendo seus livros bem pertinho de você e organizados.


                                                                                

                                                                                



E sem a menor sombra de dúvida são ótimas peças de decoração!


                                                                                  



Por isso e por ter a cara e a assinatura do Café com Leitura na Rede, traz hoje um post alternativo para a coluna INSPIRA ESTANTE.

Hoje vamos postar fotos com estantes interessantes, umas lindas de viver e de se ver, outras diferentíssimas, algumas fofas, outras enormes, umas pequeninas, mas todas lindas!
Nesse mês Inspira Estante vem recheada de decoração natalina!


                                                                                




E aí está esperando o que para vir para cá se inspirar ???????????

Abraços literários e até a próxima.


terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Uma Menina Chamada Julieta-

                                                                                 


Uma menina chamada Julieta, como todas as suas antepassadas e, que de tão importante, nas palavras de Ziraldo, é uma alvorada, pois nasceu bem no ano 2000. 
Sua roupa, dada de presente pela avó, ilustra bem a personalidade da menina maluquinha,  pois é a roupa de uma verdadeira heroína! 
Garota traquina seria sua melhor definição: ensina os meninos a assoviar, joga bem videogame, futebol e é até a goleira do time!

Uma ótima alternativa para as meninas que já gostavam do menino maluquinho de Ziraldo, mas queriam ver uma menina como personagem principal.
Impossível não querer ser amiga ou mesmo viver as aventuras de Julieta!

 E esse livro maravilhoso para vc ler ou presentear alguém querido está com preço super promocional na nossa lojinha virtual!


 Corre lá conferir e comprar o seu exemplar.
Excelente sugestão de presente para o Natal que vai agradar em cheio!



Abraços Literários.

domingo, 8 de dezembro de 2013

A Arte das Capas #4

                                                                               



O Amor Mora ao Lado é um trabalho antigo (vai completar 20 anos em 2014) de Debbie Macomber quando a autora ainda não tinha publicado nenhum best-seller. 
A capa original tem como título Family Affair .


                                                                               



O texto é curtinho, foi feito com uma letra enorme, há um preview de A Pousada de Rose Harbor, assim como as conhecidas receitas da autora, que sempre vem ao final do texto, e isso completa as 160 páginas da obra.
A trama é interessante, fofa e divertida.
O Amor Mora ao Lado tem aqueles problemas que normalmente vemos em textos curtinhos, como o amor que surge rápido demais ou o compromisso inverossímil, mas a escrita é gostosa. O objetivo da autora  foi criar um enredo romântico simples, previsível e delicado, quase um romance de banca.

Sinopse: Depois de um divórcio devastador, marcado pela sensação de perda da confiança no sexo masculino, Lacey Lancaster está juntando os cacos. Comprou uma gatinha chamada Cleo, sua companheira...

“Ela queria companhia, e, depois de seu casamento desastroso, não queria mais saber de homens em sua vida. Um gato não mentiria para ela, não a trairia nem a faria sofrer.”

Entretanto, seu vizinho Jack Walker  está ali, ao lado.
E quando Jack não está discutindo, sempre em voz muito alta, com sua namorada — com quem insiste em morar junto — está perseguindo seu gato, chamado Cão (sim, o nome do gato do Jack é Cão!) pelos corredores do prédio. E Cão está determinado a conseguir que a gatinha Cléo sucumba aos seus avanços felinos. Jack e Cão são realmente muito irritantes.
Lacey conhece bem o tipo e quer distância.
Porém, Cão, é mais rápido e eficaz que o próprio Jack e consegue seu intento com Cléo Mas Lacey não vai deixar isso assim não e vai tomar satisfações com Jack.

O Amor Mora ao Lado dá o seu recado otimista ao mostrar como Lacey lida com os seus sentimentos depois de uma separação difícil e dolorosa, sua superação e a descoberta de um novo amor.
Um livro engraçado que nos lembra de que as primeiras impressões nem sempre são verdadeiras.

A diagramação merece destaque porque é muitoooo fofa!  
Cada capítulo começa com esse simpático casal de gatinhos aí.
Confiram!

                                                                            


                                                                         

E VCS o que acharam das capas original e nacional ????
Qual preferem ????


Abraços Literários e até a próxima.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Livro, um presente que não acaba nunca-

                                                                                  




Os livros  se tornaram ao longo da história, um meio de instigar, estimular os limites da memória, inteligência e imaginação de cada um de nós.
O hábito da leitura é uma das melhores maneiras para obtermos informação, companhia, lazer e cultura.
Mergulhar nas páginas de um livro é descobrir tesouros antigos e também abrir as portas para novas conquistas.
Ler é viajar no tempo. Viaje para onde sua imaginação quiser. Basta ler um livro.
Ler é crescer, viver. Quem lê, voa mais alto, vai mais longe e vive melhor.
Ler faz bem para a saúde, para a mente e para o coração.
Ler é fundamental.
Nós do Café com Leitura na Rede vestimos a camisa da leitura, vestimos a roupa do Papai Noel e entramos no clima do Natal.
Nesse mês de dezembro vcs podem comprar por preços imperdíveis livros bacanérrimos na nossa lojinha virtual.
Natal é tempo de abraços e nós abraçamos a causa da cultura, do lazer e dos livros.
Livro, um presente que não acaba nunca!


Venha nos fazer uma visita.

Aguardamos vcs com carinho e com um atendimento vip que vai encantar nossos clientes-parceiros.
Confiram!

Abraços Literários.