Queremos convidar você a fazer uma viagem, uma viagem mágica, por diversos países, culturas, hábitos, épocas, onde sua imaginação quiser e você se permitir...

Viajar pelas páginas de nossos livros, por vários gêneros, escritores anônimos e ilustradores e também os ilustres escritores: romances, aventuras, comédias, mistérios, épicos, auto-ajuda, poéticos, didáticos... toda leitura faz o ser humano conhecer, abranger, crescer...

Neste blog vamos divulgar, sugerir, incentivar, um espaço para interagir com você, que vai ser nosso seguidor ou dar apenas uma espiadinha, mas será sempre bem-vindo, como aquele amigo que senta para tomar um café e conversarmos sobre aquelas páginas de um livro que mais nos marcou, ou aquele que estamos lendo no momento, então fica aqui nosso convite, entre no nosso blog, tome um café, enquanto passeia pelos nossas postagens, interaja conosco sempre, estamos aqui na rede aguardando a sua chegada.


Abraços literários.


Aparecida




Vamos trocar idéias, opiniões, interagir?

Tem algum comentário ou sugestão para fazer?

Escreva para nós no e-mail: cafecomleituranarede@gmail.com


Loja Virtual

A loja virtual "Café com leitura na rede" está a todo vapor, e convidamos você a visitar nossa loja, lá lhe aguardam ótimos preços, opções para todos os gostos e um atendimento muito, muito especial e amigo.

Acesse agora mesmo:


Abraços


Equipe Café com Leitura na Rede.



segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Caneca Literária #36: Nós Adoramos as Segundas-Feiras

                                                                                     



A Caneca Literária de hoje é para VCS que assim como nós são apaixonados pelos animalitos, querem diminuir um tantinho o consumo de proteína animal e se permitem descobrir novos sabores.

                                                                                 



Sinopse: Nós Adoramos as Segundas-Feiras traz uma reflexão a respeito de um tema atual e de extrema importância: o hábito de consumo de carnes e outros produtos de origem animal, bem como conscientiza sobre os impactos e os reflexos deste consumo no meio ambiente, na saúde, nos animais e no planeta.
Neste lançamento da Editora Cuore em parceria com a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), a autora busca, de forma lúdica, trabalhar com as crianças a temática dos nossos impactos no meio ambiente e da nossa relação com os animais, abordando a prática da Segunda Sem Carne,  campanha que convida as pessoas a tirar do seu prato os produtos de origem animal um dia por semana.
O texto de Tânia Veiga Judar e as ilustrações de Bruna Assis Brasil proporcionam uma empatia das crianças com as mascotes da campanha, e introduzem valores e conceitos importantes para o entendimento da preservação dos animais, do meio ambiente e da saúde. O livro inclui receitinhas vegetarianas.


Nós Adoramos as Segundas-Feiras é um livro para os pequenos e para gente grande de todas as idades.
Segunda-feira é mundialmente conhecido como o dia para mudanças, dia para tomarmos decisões, começarmos transformações e novidades.
Que tal tentar algo que trará um enorme benefício para todos????
A campanha  se propõe a conscientizar as pessoas sobre os impactos que o uso de produtos de origem animal para alimentação tem sobre os animais, a sociedade, a saúde humana e  o planeta, convidando-as a tirá-los do prato pelo menos uma vez por semana.
Existente em 35 países, como nos Estados Unidos e no Reino Unido (onde é encabeçada pelo ex-Beatle Paul McCartney) e apoiada por inúmeros líderes internacionais, a campanha foi lançada em São Paulo em outubro de 2009 numa parceria da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) com a Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA) da prefeitura, posteriormente estendendo-se a várias outras cidades brasileiras.
A fim de facilitar a adoção deste hábito, a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) fornece aqui receitas saborosas, dicas de nutrição, notícias e informações qualificadas a respeito das razões éticas, ambientais e de saúde para passar essa ideia adiante.
Um dos desdobramentos da campanha é que desde 14 de dezembro de 2015, a Secretaria do Desenvolvimento Social introduziu a campanha “Segunda Sem Carne”  no programa de restaurantes populares Bom Prato, do governo do estado de São Paulo.
No cardápio do lançamento, foi servido: quibe de proteína de soja, arroz, feijão, pão, farinha, seleta de legumes (batata, cenoura e chuchu), salada de alface, acompanhado por suco de frutas vermelhas e banana como sobremesa.
A ideia do projeto é possibilitar que a população descubra novos sabores e perceba que é possível ter uma refeição saborosa e nutritiva sem carne, que beneficia não apenas a saúde das pessoas, mas também a saúde do planeta – e salva a vida de milhares de animais.
Quando o programa estiver inteiramente implementado, os 49 restaurantes “Bom Prato” deixarão de comprar, juntos, cerca de 30 mil quilos de carne.

Quer saber tudinho sobre a campanha segunda sem carne ?????

Os animaizinhos adoram as segundas-feiras, e agora vcs já sabem porque.
Um dia só na semana, vamos nos permitir conhecer novos sabores ????

                                                                            



Quem está comigo nessa levanta a mão \o/ \o/
 Abraços Literários e até a próxima.


sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Êta Mundo Bom! - Último Capítulo

                                                                                  



Tudo o que acontece de ruim na vida da gente é para melhorar.
A mensagem (frase do filósofo Voltaire 1694-1778), foi levada a sério pelo protagonista Candinho, vivido por Sérgio Guizé.
Depois de tanto sofrer, encontrou a mãe, conheceu o pai, se tornou pai e se casou com o grande amor de sua vida, Filomena (Débora Nascimento), ele conquistou o público.
O Candinho é uma representação do otimismo, sem ser sarcástico, com um humor pontual que encaixou perfeitamente com o frescor da esperança.
O personagem alcançou um número considerável de pessoas porque ele toca a todos de maneira doce.
 As pessoas acreditam nele, na força do amor incondicional e puro.
Candinho é fruto de uma fantasia, mas é uma pessoa ‘possível’.

 “Êta Mundo Bom!”, que estreou no dia 18 de janeiro, chega ao fim hoje.
Surpresa do ano, a novelinha despretensiosa das 6h conseguiu uma média que não é alcançado nem mesmo pelo folhetim das 9h.
A trama do autor Walcyr Carrasco e que teve Jorge Fernando na direção geral (e de núcleo), foi inspirada no filme “Candinho”, que teve Mazzaroppi como protagonista, isso significa que o público ligado em um humor mais retrô gostou dos carismáticos personagens.
A novela bateu recordes consecutivos de audiência na história das tramas das seis, chegando a 40 pontos e se consolidando como um dos maiores sucessos da Rede Globo.
Algumas das razões para esse fenômeno:

- A novela foi levinha e despretensiosa. A trama simples, muito bem construída, com um número não tão grande de personagens, o que permitiu o aprofundamento na história, acertou em cheio e mostrou que dá para ter conteúdo às 18h.

- Foi divertida. Até as cenas mais tensas acabam de maneira animada. Pancrácio teve seus momentos hilários quando vestia seus personagens  e a história do cegonho foi engraçada.

- A maldade quase sempre terminou em pastelão. Cunegundes (Elizabeth Savala) faz as maiores sacanagens por interesse, mas ela é engraçada porque não tem a carga de vilã e acaba sempre se dando mal.

                                                                              


- Um dos protagonistas foi um simpático animalzinho, o burrinho Policarpo, o melhor amigo de Candinho.

- Teve uma novela (Herança de Ódio, radionovela) dentro da novela.
Vários personagens  ouviam a radionovela, como a Eponina interpretada por Rosi Campos, ou então trabalhavam como atores na trama.

- Foi romântica. Filomena e Candinho, Mafalda (Camila Queiroz) e Romeu (Klebber Toledo), Maria (Bianca Bin) e Celso (Rainer Cadete) Zé dos Porcos (Anderson Di Rizzi) e Mafalda (Camila Queiroz), Diana (Priscila Fantin) e Severo (Tarcísio Filho), Araújo (Flávio Tolezani) e Olga (Maria Carol), Gerusa (Giovanna Grigio) e Osório (Arthur Aguiar) ... é uma novela cheia de amor.

-O cenário foi muito bem feito. Tanto a cidade antiga – já imaginou São Paulo nos anos 40??????- nas cenas externas quanto os ambientes internos são muito bem cuidados.  E que decoração!

- O elenco é de primeira. Velha guarda e nova geração deram um show de interpretação e transformaram a novela da roça em um verdadeiro sucesso, recorde histórico de audiência.

- Foi o programa mais visto do Brasil durante a Olimpíada. Engana-se quem pensou que durante os Jogos Olímpicos, as transmissões dos esportes ultrapassariam a novela já consolidada na audiência. A trama cravou 40 pontos de média, com share de 58%, ou seja, de cada dez televisores, quase seis estavam sintonizados na história de Candinho.
O curioso é que o Ibope não foi afetado com os Jogos, que fizeram a novela começar todo o dia num horário diferente.

- A Globo poderia muito bem dar uma esticadinha na novela de Walcyr Carrasco, porém não deu.

- E por falar em Walcyr Carrasco ele não decepcionou, provou que sabe, como ninguém, fazer novelas de época, juntou todos os ingredientes de seus folhetins antecessores, e o publico reverenciou.

Hoje o público está ansioso para ver o castigo de Sandra (Flávia Alessandra) e o final feliz de Candinho com Filomena.
Os destinos de outros personagens também são super aguardados.
Destaque para #Gesório (Gerusa e Osório) que tem um Q de A Culpa é das Estrelas.

 ‘Êta Mundo Bom!’ já deixa saudades, e a próxima novela terá uma grande responsa pela frente, pois o carisma de Candinho e outros personagens cativaram tanto, que é difícil se desapegar tão rapidamente da trama.
Agora, é esperar para ver.  Será que ‘Êta mundo bom!’ será bem substituída?


Abraços Literários e até a próxima.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

4º Aniversário do Blog-

                                                                                   


Leitores e amigos, hoje o nosso bloguito comemora seu 4º aniversário!
Escrevemos sobre o que amamos: leitura!
E acompanhados de uma xícara de delicioso cafezinho.

Os livros são a forma mais eficaz que a humanidade encontrou para adquirir, armazenar e transmitir conhecimento.
Eles se tornaram ao longo da história, um meio de instigar, estimular os limites da memória, inteligência e imaginação.
Lineares como o tempo, íntimos como os pensamentos e portáteis como nossas roupas.
Houve quem quisesse queimá-los em praça pública em nome de crenças religiosas ou políticas, quem quisesse transformá-los em antiquados ou irrelevantes no agitado mundo moderno.
Mas os livros resistiram a todo tipo de ameaça.
As palavras continuarão sendo escritas e lidas, construindo páginas e histórias.
O hábito de leitura é uma das melhores maneiras para obtermos informação, companhia, lazer e cultura.
 A melhor maneira de celebrar esses 4 anos  é deixar registrado o nosso muito obrigado aos leitores, aos amigos conquistados e a todos os internautas que passam por aqui para nos visitar

                                                                             


Parabéns Café Com Leitura Na Rede, nosso cantinho virtual de leitura.
E seguimos na certeza de que fizemos o melhor, com a promessa de que esse ano vai ser ainda mais especial!


Abraços Literários!


terça-feira, 16 de agosto de 2016

As Quatro Estações de Stephen King-

                                                                                   



O livro nos apresenta histórias de Stephen King que se transformaram em sucessos de Hollywood.
Publicado originalmente em 1982,  faz parte da série de relançamentos de obras esgotadas do autor.
Em Quatro Estações, o leitor tem a oportunidade de conhecer uma outra faceta do mestre do suspense e do terror americano. São quatro histórias que se distanciam do universo sobrenatural habitual do autor, mas com a mesma marca de excelente contador de histórias que ele conquistou ao longo de sua carreira construindo narrativas baseadas no dia-a-dia de personagens comuns e mostrando sua habilidade em criar demônios, mas sob uma nova perspectiva: eles aparecem de modo subliminar, povoando a natureza humana, comprovando mais uma vez seu talento como um dos melhores ficcionistas da literatura contemporânea.

Em "Primavera eterna - Rita Hayworth e a redenção de Shawshank”, o escritor toma a injusta condenação de um homem à prisão perpétua como ponto de partida para falar sobre o desejo de liberdade. A adaptação para as telas do cinema - com atuações de Tim Robbins e Morgan Freeman - fez grande sucesso sob o título Um Sonho de Liberdade.
A perda da inocência é retratada em "Verão da corrupção - Aluno inteligente”, que descreve a estranha relação entre um velho torturador nazista e um rapaz de apenas 13 anos de idade fascinado pelo terror do III Reich. A narrativa chegou às telonas como O Aprendiz.
Na trama seguinte, "Outono da inocência - O corpo”, o autor dá novos contornos ao tema do rito de passagem da juventude para a maturidade, utilizando-se das reações de um grupo de adolescentes confrontados com a morte ao se verem diante de um cadáver. A história se transformou no filme Conta Comigo, revelando atores como River Phoenix e Kiefer Sutherland.
Vida e morte voltam a aparecer na quarta e última narrativa, "Inverno no clube - O método respiratório”, que relata a luta de uma jovem para conceber seu primeiro filho a qualquer custo. Esse conto ainda não teve adaptação cinematográfica.

Sou kingniana de carteirinha! Desde pequena quando assistia algumas obra cinematográficas adaptadas e cobria os olhos com os dedos entreabertos e o coração acelerado rsrs
Eu não sabia que Um Sonho de Liberdade, um dos meus filmes favoritos,  era uma adaptação de um conto de SK, então naturalmente,  fiquei obcecada por esse livro.
O mote de as Quatro Estações é exatamente o que consta na sinopse, como veem traz um resumo beeeeem detalhado, e não decepciona.
Mas não é um livro de contos como qualquer outro.
As histórias foram publicadas juntas, porque são longas para serem consideradas contos, mas curtas para serem lidas como romances, isso nas palavras do autor, no posfácio.
Ou seja, pensem na obra como quatro livros distintos, tipo 4x1 hehehe e se joguem na leitura, especialmente se assistiram alguns dos filmes citados na sinopse e são fãs de King ou se querem se iniciar nesse gênero de uma maneira instigante, porém low.


Vou deixar meu queridinho para o final, então vamos passar direto para o segundo conto, combinado???
"Verão da corrupção - Aluno inteligente”,  é assustador especialmente pelo realismo, leitura pesada que demora para pegar o ritmo. Trata de um garoto que suspeita de um senhor que pode ter sido um dos principais comandantes nazistas, e passa a chantageá-lo. Como veem não deixa de ser uma espécie de horror ou se preferirem terror,  a história de dois personagens detestáveis e um relacionamento doentio.

"Outono da inocência - O corpo”,  é beeeem teen, gosto de leituras mais levinhas e daquelas que a gente lê de uma sentada, mas como não tinha gostado muito do filme, coerentemente não me encantei com a narrativa.
 O mote trata de amizade e lembranças de infância apresentando a dinâmica familiar e das vidas de quatro garotos, transmitindo a essência de quatro personalidades tão distintas.

"Inverno no clube - O método respiratório”,  é o único entre os contos que tem uma pegada um tantinho sobrenatural, mas não teve tempo para que o leitor se envolvesse com os personagens, o que também é de se esperar nos contos curtos, não apresentou um clímax e o final foi  em aberto, mas tinha potencial.
O enredo é sobre um funcionário que é convidado pelo chefe a conhecer um misterioso clube.

Agora vamos à cereja do bolo!!!!!!
"Primavera eterna - Rita Hayworth e a redenção de Shawshank”, o primeiro conto
Ahhhhhhhh eu me apaixonei pelo Andy Dufresne interpretado por Tim Robbins desde um mil novecentos e bolinha quando assisti o filme, garrei de amor no homem.
 Êta protagonista dos bons <3 sô.
Narrado em primeira pessoa, por um homem condenado à prisão perpétua, relata a amizade com um preso injustamente (preso esse que é Andy), que se adapta a situação de maneira a não se envolver com aquele mundo ao qual não pertence.
A maneira como a leitura flui faz com que o leitor se encante com as atitudes do preso em questão.
Ameeeei muito mesmoooo! A história é envolvente e incrivelmente completa.
Apesar de trabalhar com ênfase no lado B (C,D e E) das prisões, a gente se surpreende gostando dos personagens.
Quatro são as palavras para resumir o encantamento: amizade, resiliência, esperança e redenção.

Conhecido mundialmente como um mestre do horror (ou terror, como preferirem) na literatura, mostra que nem só de criaturas assustadoras ou situações macabras vive o autor.
Ele não deixa a desejar quando escreve fora do gênero.
Dedica aos personagens secundários a mesma atenção que aos principais e a naturalidade com que escreve faz com que seja muito fácil tomar seus dramas como “reais”.
Sua escrita é ao mesmo tempo fluída e densa, sempre de altíssima qualidade e envolvimento singular, seja no gênero sobrenatural, suspense ou drama.

Recomendadíssimo.

Abraços Literários e até a próxima.


domingo, 14 de agosto de 2016

Feliz Dia dos Pais-

                                                                                  



As mãos de meu pai

As tuas mãos têm grossas veias como cordas azuis
sobre um fundo de manchas já da cor da terra
- como são belas as tuas mãos
pelo quanto lidaram, acariciaram ou fremiram da nobre cólera dos justos…
Porque há nas tuas mãos, meu velho pai, essa beleza que se chama simplesmente vida.
E, ao entardecer, quando elas repousam nos braços da tua cadeira predileta,
uma luz parece vir de dentro delas…
Virá dessa chama que pouco a pouco, longamente, vieste alimentando na terrível solidão do mundo,
como quem junta uns gravetos e tenta acendê-los contra o vento?
Ah, como os fizeste arder, fulgir, com o milagre das tuas mãos!
E é, ainda, a vida que transfigura as tuas mãos nodosas…
essa chama de vida – que transcende a própria vida…
e que os Anjos, um dia, chamarão de alma.

(Mario Quintana)
(Poema publicado originalmente no livro Esconderijos do Tempo)



Nós do Café com Leitura na Rede Site e Blog desejamos a todos os papais
Parabéns pelo seu dia!
Feliz Dia dos Pais!
E sugerimos que VCS convidem o homem  mais importante de nossas vidas para um café e uma excelente leitura.


Abraços Literários!


terça-feira, 9 de agosto de 2016

Laranja Champagne-

                                                                            



Conheci essa laranja há alguns anos, no Mercado Escolhido, no trajeto São Paulo/Ibiúna.
Nunca tinha ouvido falar. Das espécies laranjas conheço as mais tradicionais como laranja lima, laranja Bahia, seleta, laranja pera, lima da pérsia, kinkan e grapefruit.
Surpreendeu-me o aspecto, o aroma, o sabor e fui pesquisar.
Conheci um pouco mais sobre ela neste blog aqui  e diverti-me bastante com o post onde a autora diz que recebeu pelo correio uma unidade da fruta, degustou metade,  com a outra metade fez um suco e ficou com pena qd acabou rsrs
                                                                              
   

                                                                 
                


                                                                                


                                                                                  
             
  

                                                                               


Apresento a VCS a Laranja Champagne.
A laranja Champagne é uma fruta única.
Tamanho extra grande,  como uma grapefruit, cada uma pesa cerca de meio quilo, casca verde que ao amadurecer torna-se amarela candy e com a polpa cor de laranja-lima.
 Sua safra tem início em abril e tem a meia-estação entre junho/julho.
                                                   
                            


Seu suco tem cor de champagne, é claro, daí a denominação, o caldo tem uma quantidade (cada laranja dá cerca de 300ml de suco puro) que é um escândalo de fragrante sabor.

                                                                              


Sua casca tem o aroma do Earl Grey floral e pode ser utilizada num confit delicioso.

                                                                                 



Uma das laranjas mais saborosas para consumo in natura com sua polpa macia que a cada volta da faca desprende um aroma de lima-limão que dá água na boca.
Sim, sou viciada em cítricos de toda a espécie, louca por bergamotas, laranjas, limões de toda espécie, mas esse sabor mix de tangerina com laranja-bahia é único e me encantou por completo.
Doce e muito perfumada é uma variedade híbrida, um delicado blend com acidez e doçura na medida exata.

Quem gosta de laranja levanta a mão \o/ \o/


Abraços Literários e até a próxima.




segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Jornal Poético: Diversos Versos, Inversos e Reversos #27

                                                                                    



Este espaço,  intitulado Jornal Poético: Diversos Versos, Inversos e Reversos,  foi criado,  porque as poesias, os poemas, as rimas, os cordéis, prosa e verso  devem estar ao nosso alcance sempre.
Com a leitura podemos, encontrar e descobrir mundos que existem dentro de nós mesmos.
É  por isso que convidamos vocês a embarcarem com a gente nesse lindo poema de Roseana Murray, que escolhemos para desejar dias de agosto plenos de amor!


Luares de Agosto

Invento luares de agosto
e auroras boreais
invento as noites mais frias
invento as noites mais quentes
invento crisântemos transparentes
guirlandas de silêncios minerais
invento algas cristalinas
cavernas de cristais
invento o que só com amor
se pode inventar
o que já foi dito mil vezes
e que sempre se dirá

(Roseana Murray)



Beijos poéticos, enormes e abraços literários.


quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Liberdade, Liberdade- Último Capítulo

                                                                                    



Liberdade, Liberdade que estreou  em 11 de abril, na faixa das 23h, chega ao fim hoje.
A trama revelou o olhar de Joaquina (Andréia Horta), a filha do mártir da Inconfidência Mineira, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes (interpretado por Thiago Lacerda) sobre a busca por igualdade entre os anos 1792 e 1808.
Na história, escrita por Mario Teixeira, Joaquina, ainda criança (Mel Maia), presencia o enforcamento do pai, considerado traidor pela Coroa Portuguesa por lutar para livrar o país do domínio de Portugal.
Assim a garotinha é adotada por Raposo (Dalton Vigh) e levada para fora do país e passa a se chamar Rosa.
Raposo a cria com carinho, junto do filho André (Caio Blat), que tem um romance com  Tolentino (Ricardo Pereira), com quem teve a primeira cena de sexo entre dois  homens em uma novela (cena marcada pela delicadeza que teve a direção artística de Vinícius Coimbra),  e da escrava liberta Bertoleza (Sheron Menezes).
Mas Joaquina carrega a essência do verdadeiro pai e após 20 anos, retorna ao Brasil com sede de justiça.
Centro de um triângulo amoroso fica balançada entre o amor do revolucionário Xavier (Bruno Ferrari), noivo de Branca (Nathalia Dill) que é a representante da alienação da elite brasileira absolutamente instável emocionalmente, e o vilão Rubião (Mateus Solano), filho da revolucionária cafetina e ex-prostituta Virgínia (Lilia Cabral) sem saber que foi ele quem delatou seu pai Tiradentes, matou sua mãe, Antônia (Letícia Sabatella) e matou seu pai adotivo Raposo.
Joaquina luta para acabar com os mandos e desmandos das autoridades, a escravidão, os abusos, a descriminação e a falta de humanidade.
Defende questões básicas, como o direito a um prato de comida, saneamento básico e luta pelo povo.
A Joaquina/Rosa de Andréia Horta (divaaa) é uma mulher à frente de seu tempo, uma revolucionária, a heroína dos que sofrem em busca de seus ideais, incorruptível e de caráter inabalável.
O tema se relaciona intimamente com o momento atual político do Brasil, já que vivemos um período de crise e descrença, como no século 18.
As vozes gritavam por um país mais justo, o que também queremos para agora e a insatisfação do povo com os governantes criou uma identificação imediata.

Assim como Totalmente Demais, Liberdade, Liberdade, não acaba quando termina.
Terá um spin-off no Globo Play, plataforma digital da Globo.
Mão de Luva (Marco Ricca) será o protagonista e a estreia acontece assim que a novela terminar na TV,  Nos bastidores da emissora, a ordem é investir em streaming.
Além de Ricca, já estão confirmados Felipe Camargo e Carol Castro. O ator dará vida ao bandido Casco de Boi e Carol será Selena, um antigo amor de Mão de Luva.
Serão dez episódios de sete minutos para matar a saudade que a novela das 23h vai deixar.



Abraços Literários e até a próxima.